Home | Quem somos | Contato | Listagem de Salões e Clínicas de Estética! | Produtos e Serviços | Seja nosso REPRESENTANTE | Blog
SGBeauty
Clique para logar no sistema!
CADASTRE-SE
GRÁTIS
Cadastre-se e faça parte de nossa lista de pesquisa. Divulgue seu salão e faça com que ele fique ainda mais conhecido e visível na WEB...

   
Notícias

Home » Eventos » Brasil: setor de higiene e beleza cresce em média 10% ao ano

04/09/2013

Clique na imagem para ampliar

 

Com o terceiro maior mercado consumidor de itens de cosméticos, higiene pessoal e perfumaria do mundo, o Brasil também é um dos maiores fabricantes desta indústria. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o País é o sétimo produtor mundial de cosméticos, atrás de Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Inglaterra e Itália. O setor, que tem demonstrado um crescimento bem mais vigoroso que o restante da indústria brasileira - em média 10% ao ano -, investe para atingir a demanda do mercado externo.

 

 

 

Conforme João Carlos Basílio da Silva, nos últimos 16 anos, o faturamento deste setor passou de R$ 4,9 bilhões para R$ 29,4 bilhões. Ele ainda lista os motivos para a conquista. "A utilização de tecnologia de ponta e o consequente aumento da produtividade, favorecendo os preços praticados pelo setor, que tem reajustes menores do que os praticados em geral, os lançamentos constantes de novos produtos e o aumento da expectativa de vida, que traz a necessidade de conservar uma impressão de juventude", afirma.

 

 

Déficit na balança comercial do setor

 

 

Apesar do crescimento da produção e do faturamento, o saldo da balança comercial de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos nos últimos 10 anos ainda apresenta déficit. Enquanto o crescimento acumulado nas exportações foi de 293,5% entre 2002 e 2011, as importações cresceram 340,9% no mesmo período.

 

O déficit comercial do setor, que atingiu US$ 163,1 milhões em 1997, foi sendo reduzido nos anos seguintes, atingindo US$ 8 milhões em 2001 e, a partir de 2002, inverteu-s. Em 2009, o superávit atingiu US$ 131 milhões, com queda de 27,8% sobre 2008, refletindo a valorização do real, que resultou em US$ 126 milhões de déficit em 2011.

 

Segundo a Abihpec, os grupos de produtos mais exportados são para cabelos (25,6%), higiene oral (20,7%), sabonetes (19,3%) e desodorantes (8,9%); demais e descartáveis completam o quadro (25,5%). A Argentina é o maior cliente do Brasil no setor, seguida do Chile, México e Colômbia. Os Emirados Árabes Unidos, onde a Abihpec está investindo em divulgação, entre os que compram a produção brasileira, foram os menos expressivos em 2012.

 

Fonte: http://economia.terra.com.br/operacoes-cambiais/operacoes-empresariais/brasil-setor-de-higiene-e-beleza-cresce-em-media-10-ao-ano,0e9672f8f3a0f310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Hoje, o Brasil figura na 24ª posição de exportações do segmento de Cosméticos, Higiene pessoal e Fragrâncias (CT&F) do relatório do Global Trade Information Services (GTIS) - reconhecida fonte de pesquisas sobre comércio internacional mundial - com dados do último ano. Segundo o presidente da Abihpec, João Carlos Basilio, a entidade está investindo nas exportações, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Investimentos (Apex-Brasil), por meio de um projeto de internacionalização. De 28 a 30 de maio, a iniciativa levou 10 empresas para expor os produtos brasileiros na Feira Beautyworld Middle East 2013, em Dubai, que reuniu compradores de todo o mundo.


   

Todos direitos reservados © Salão de Beleza e Cia
comercial@salaodebeleza.com.br